Semana da Alta Costura de Paris - O que rolou

Paris voltou a receber a Semana da Alta Costura entre os dias 4 e 8 de julho.


Designers e marcas apresentaram as suas propostas para o Inverno 2023, com direito a muito futurismo, plumas e nudez.


Quer saber mais um pouco sobre o que rolou de melhor durante esses 4 dias de evento? Continuem acompanhando este post.


Chanel


O compilado de looks incríveis foi assinado por Virginie Viard, que apostou na sobriedade para mulheres reais que necessitam de peças que sejam bonitas e funcionem no dia a dia.


Virginie apostou em conjuntos e vestidos alongados combinados com botas de cowboy e chapéus de abas largas.


Os cabelos soltos e ao natural também foram vistos na passarela, reforçando a ideia de uma mulher real.


Alexandre Vauthier


Com um design espetacular, Alexandre Vauthier trouxe versões de franjas finas e brilhantes com plumas feitas a mão, que cobriam peças transparentes.


Peças muito sedutoras com lantejoulas prateadas e uma forte variedade de oversized se misturavam com tons de pretos, bege e azul.


As silhuetas alternavam entre elegância e sensualidade, com aberturas provocantes e formas assimétricas.


Armani Privé


Na contramão de algumas outras marcas que desfilaram na Semana de Alta Costura de Paris, a Armani Privé apresentou uma coleção mais intimista.


Esta coleção em específico apostou em uma paleta mais sombria, com tons de preto e azul marinho, veludo, maxiacessórios e pedrarias.


Laços de vários tamanhos, decotes em V e looks cheios de volume compostos surgiram na passarela a todo instante.


Nos cabelos, o efeito molhado foi a escolha constante.


Balenciaga


O que vem depois de uma edição limitada (e super cara) de um tênis totalmente destruído, desfile na bolsa de Valores de Nova York e modelos mascarados, com convites em maço de dólares falso?


O desfile da sempre aguardada Balenciaga apresentou looks feitos em neoprene, como um vestido justo de ombros acentuados e arredondados, comprimento abaixo do joelho, arrematado com uma máscara preta sci-fi.


Demna Gvasalia reinterpretou o tecido nobre gazar de seda para embalar os vestidos volumosos. O visual fetichista foi o ponto alto do desfile. Ah, isso sem falar do time de estrelas que desfilou pela marca.


Elie Saab


Com tons etéreos e acompanhados de franjas de contas, o desfile do libanês Elie Saab trouxe os bordados elaborados que já são marca do estilista.


Peças delicadas e muito brilhosas foram vistas na passarela do desfile de Alta Costura.


Famoso por seus looks de tapete vermelho, os designs de Saab sempre foram elaborados, deslumbrantes e glamourosos.


A coleção apresentada, intitulada “The Beginning Of Twilight” é nada menos do que um fascínio cativante e brilhante que capturou a atenção de todos que estavam por lá.


Viktor&Rolf


Outro desfile sempre muito aguardado é o da Viktor & Rolf e, dessa vez, não foi diferente.


A dupla apresentou um desfile através da moda artesanal, com direito a transição entre moods. onde os designers reconstruíram a silhueta de um terno na passarela.


Alfaiataria, camisaria, ombros super largos e gravatas em peças oversized também foram destaques no desfile.


Jean Paul Gaultier


O diretor criativo da Balmain, Olivier Rousteing, foi convidado pela grife para criar peças em colaboração com Jean Paul Gaultier, idealizador da marca.


O desfile celebrou o legado do estilista, trazendo referências e, claro, corsets e sutiãs cone imortalizados por Madonna. Além desses, um vestido corset de fitas desfilado em 2001, looks pretos e brancos de alfaiataria e muitos outros foram revisitados durante o desfile.


Cintura bem marcada e elementos metalizados, que estão presentes nas embalagens dos perfumes Le Male e Classique, também foram recriados na passarela.


Maison Margiela


A Maison Margiela, comandada por John Galliano, criou uma cena e tanto para a apresentação do desfile e fez um filme encenado ao vivo.


"Cinema Inferno", título da história, reuniu moda, teatro, o digital e a arte ao lançar o curta com narrativa psicodrama.


As roupas vão entrando na história conforme o filme se desenrola. Os casacos dos vilões, miçangas, jacquard degradê e flocagem estão presentes.


Na cartela de cores, tons pastéis, além de vestidos com modelagens de mangas bufantes, confeccionados em tule. A alfaiataria desconstruída foi o ponto alto da apresentação.


Fendi


Kim Jones trouxe para a Fendi vestidos longos transparentes com bordados de linhas florais e redes de cristais, mas trazendo uma simplicidade nas silhuetas.


A paleta passeava entre o bege e o caramelo às cores mais acesas, valorizando o trabalho delicado e tecidos em patchwork e paetês.


As caudas dos vestidos de festas também foram destaques, assim como a coleção de Alta Joalheria da marca.


Esse foi, sem a menor dúvida, o desfile mais pelado da temporada.

Posts recentes

Ver tudo