top of page

VOCÊ SABE O QUE É DRESS CODE FLEX?


No artigo anterior falamos um pouco sobre como a forma de se vestir pode influenciar na ascensão da carreira profissional. Na contramão, surge uma nova tendência que já ganhou espaço: o DRESS CODE FLEX.



Dá para imaginar do que se trata, né? Quem nunca acordou com aquela vontade de pôr um moletom, uma pantufa, aquele casaco que tem a marca da sua banda favorita; de sair com aquela camisa que mostra a sua tatuagem e mochila destroyed que é o seu xodó?


Combinação harmônica

Para as gerações Baby Boomers e X, esse código era pautado na formalidade. Isso se perpetuou por muitos e muitos anos. Assim nos acostumamos a esta formalidade nas vestimentas como uma regra. Um homem de terno era autoridade e tinha o seu valor - isso na cabeça dos nossos avós. E, é claro que um bom terno sempre tem o seu lugar.

Pois bem, graças à geração Y, essa tendência vem ganhando cada vez mais espaço. Ela está pautada muito mais na produtividade dos colaboradores do que na imagem que eles querem passar. Mas o que isso tem a ver com moda? Tem tudo a ver com estilo, modernidade, atualidade, personalidade e moda. Algumas pesquisas apontam que, há ao menos duas razões motivando a mudança: o aumento na produtividade dos colaboradores, quando se sentem mais confortáveis no ambiente em que trabalham; e a entrada das gerações mais jovens no mercado, trazendo novas exigências.


Vista-se como você é: com piercing, tatuagens e com o cabelo que faz a sua cabeça e colore os ambientes mais neutros. Mas de onde vem toda essa inspiração? Das empresas de tecnologia do Vale do Silício (EUA), onde predomina a informalidade. A ideia é justamente atrair jovens talentos e inovação. E essa tendência vem reverberando entre as companhias tradicionais de diferentes setores. Sim, até os bancos estão adotando a nova tendência. O Itaú Unibanco de São Paulo, por exemplo, desde 2018, deu liberdade para que seus colaboradores vão ao trabalho como eles realmente querem ser vistos – como realmente são. A IBM, desde março de 2017, decretou o fim da política da vestimenta. Cada um vai como se sente bem. Empresas como a Google, Microsoft e a rede de fast-food Mc Donald’s, são as grandes referências para essa nova tendência.


Opção de flex sofisticado

USANDO O BOM SENSO

Toda essa novidade ainda é muito recente e sofre com a grande resistência das empresas mais formais e apegadas às regras do Dress Code. Um toque bem importante é usar o Bom Senso. Essa flexibilidade deve ser observada com cuidado, pois, cada cliente tem um perfil diferente. Observe, conheça e se apresente como você é, mas levando em consideração os perfis de clientes que a empresa atende.


Quebrando Tabus

Além da confiança, a adoção de um código de vestimenta flexível pode ajudar a quebrar barreiras entre superiores e seus encarregados no ambiente de trabalho. Pois ele traz leveza e um ambiente mais favorável para o trabalho, estimula a criatividade e inovação.