BLOG

whats png.png
Buscar

Ombro marcado: todo mundo pode usar?


A turma da Neuf vai seguir atento a tudo o que rola em relação ao Corona Vírus, fazendo nossa parte, mas também vamos seguir produzindo conteúdo sobre os temas que nossas neufóricas gostam. É tempo de se conscientizar, sermos responsáveis, mas também de levar um pouco de conteúdo leve, para que a gente possa ter alguns respiros durante o dia.


Então, para a hora do alívio de hoje, a gente vai falar sobre uma tendência que vem ganhando cada vez mais força: nas passarelas e na rua. Há algumas coleções temos nos deliciado com o retorno dos ombros marcados. Não foi diferente nos desfiles de inverno apresentados na última Paris Fashion Week. Givenchy, Elie Saab, Giambattista Valli, Balmain, Chanel, Alexander McQueen e Valentino foram algumas das várias marcas que apostaram nessa tendência. Seja em propostas mais românticas, poderosas ou dramáticas, os ombros continuam em alta.



Mas, como incorporar essa tendência aos looks da vida real ? A primeira avaliação a ser feita é sobre que estilo de ombro marcado lhe atrai mais, ou seja, qual é o mais coerente com seu estilo. Grosseiramente, podemos dividir em dois tipos: os que apresentam linhas curvas, mais femininas e delicadas, e os marcados por linhas retas e estruturadas, que trazem uma energia masculina às composições.



Ombros de linhas retas


Se o seu desejo de imagem é transmitir poder, autoridade e força, os ombros marcados de linhas retas, podem atender melhor a sua necessidade. Eles caem bem em situações de trabalho, por exemplo, em ambientes mais formais, já que podem reforçar atributos de confiança e credibilidade à quem os ostenta.



Seguindo essa linha de raciocínio e reforçando essa mensagem de poder dos ombros retos, uma boa opção é aliá-los a peças de alfaiataria, que transitam bem em ambientes mais tradicionais. Os blazers oversided e as capas são ótimos exemplos e podem gerar looks poderosos e também muito modernos.



Caso você não queria investir em uma peça nova e mesmo assim queira atrair as atenções para essa região, um truque de stylling bem fácil de fazer é "jogar" uma terceira peça sobre os ombros. Quanto mais estruturados os ombros dessa terceira peça, melhor! Blazers, por exemplo, equilibram bem a suavidade de vestidos muito femininos, trazendo força e poder às composições para o trabalho.



Ombros de linhas curvas

Agora se o seu desejo de imagem for gerar acessibilidade, aproximação e feminilidade, os ombros marcados de linhas curvas, são a pedida! Mangas bufantes, estilo princesa, dos mais diversos tamanhos, cores e materiais aparecem trazendo suavidade e doçura às composições.


Observem que, quando associados a outros elementos tipicamente femininos, como cores claras e detalhes delicados, como tule, poás ou flores, por exemplo, a mensagem de sutileza dos ombros curvos é enfatizada. Essas são boas opções para serem utilizadas em um primeiro encontro ou para frequentar festas infantis, por exemplo.



Por outro lado, quando trazem volumes exagerados, os ombros curvos podem comunicar dramaticidade e dar um "quê" de teatral ao look. Caem bem para saídas noturnas ou aqueles momentos em que se pretende ser percebida, por serem bem marcantes.



De olho na sua silhueta

Peças de ombros marcados podem ser utilizadas por mulheres de todos os tipos de silhueta, mas alguns biotipos precisam ficar mais atentos do que outros ao incorporá-las à seus guarda-roupas. O biotipo "triângulo" naturalmente se beneficia ao adotar esse tipo de peça, já que, ao destacar a parte superior do corpo, a zona de dominância visual, que é na parte inferior, é automaticamente suavizada.



Já os demais biotipos, ao adotar composições de ombro mais marcado, devem estar muito atentos à peça que utilizarão na parte inferior, de tal forma a não gerar uma forte desproporção, a não ser que esse seja o efeito desejado. Nesse sentido, mulheres de tipo físico "triângulo invertido" necessitam de atenção redobrada, por já possuírem a parte superior como a que domina visualmente suas silhuetas. Nesse caso, uma boa opção é utilizar uma peça bem ampla na parte de baixo, que crie um volume adicional nessa região, equilibrando a composição.