BLOG

whats png.png
  • Blog da Neuf

Descubra o Brasil a partir de uma análise dos tipos de tecido e os estilos mais consumidos


Por Stela Moncaio


A AICI - Association of Image Consultants International - é uma associação sem fins lucrativos dedicada a elevar o nível de profissionalismo e aumentar o reconhecimento dos consultores de imagem ao redor do mundo. O chapter Brasil é o maior em número de associados e anualmente promove um seminário internacional, trazendo importantes nomes nacionais e internacionais para palestrar e reciclar o mercado.


Em sua 7a edição, a primeira online, o seminário reuniu 350 consultores do Brasil e exterior, entre eles representantes do time Neuf, que trazem aqui os highlights das principais palestras que rolaram, com novidades quentinhas para as nossas Neufóricas!


Leonardo Hallal, empreendedor e executivo de moda, em sua palestra "Os Tecidos e o Estilo nas Principais Regiões do Brasil", fez um raio-X inédito dos estilos femininos pelo Brasil a partir da análise do consumo dos tipos de tecido por capital. 




Goiânia, Belo Horizonte, Vitória, Distrito Federal e Cuiabá seriam marcadas pelo estilo que Hallal denominou "Exuberante". A mulher desse perfil é sensual, extravagante, vaidosa e festiva. Ela gosta de uma silhueta mais justa, que valorize o corpo, e produções mais carregadas. É um visual mais barroco e opulento. 



Entre os tecidos que a mulher "Exuberante" gosta, destacam-se os crepes acetinados, o neopreme, malhas estruturadas, alfaiatarias leves com stretch, jersey, tafetá, rendas, couros, transparências, paetês e bordados, compostos por  viscoses, poliesters e sedas. Quanto às estampas, temos: animal print, manchados e abstratos, florais grandes, maxi estampas, ornamentais e tapeçaria. E, em relação às cores, aparecem as combinações de cores intensas, vibrantes e com contraste. Skazi e Iorane são duas marcas que representam bem a mulher "Exuberante".




"Alegre" é como Hallal denominou o estilo das mulheres de Salvador, Aracaju, Teresina, São Luis, Belém, Manaus, Porto Velho, Boa Vista, Macapá, Rio Branco, Palmas e Maceió. A mulher "Alegre" é ativa, divertida, lúdica, alto astral, cheia de vivacidade e menos suscetível aos movimentos da moda. Ela dá valor à sensualidade, mas com um pouco mais de conforto. Vestidos estampados, decotes tomara-que-caia e pantalonas leves são peças emblemáticas dessas mulher. 


Os tecidos que a mulher "Alegre" aprecia são o jersey, alfaiatarias leves, malhas viscolycra, anarrugas e neopreme, com composições em viscoses, algodões e poliesters. Manchados, tie-dyes, abstratos e florais grandes estão entre suas estampas prediletas. Mas tudo bem colorido e chamativo. E, falando de cores, temos muitas cores primárias, bastante contraste, combinações ousadas e multicolorido. Carol Barreto e Goya Lopes Design Brasileiro são marcas representativas desse estilo. 





Capitais nordestinas como Recife, Fortaleza, Natal e João Pessoa são dominadas pela mulher denominada por Hallal como do estilo "Tropical". Essa mulher é antenada, acompanha os movimentos da moda, se identifica com a sofisticação e é hábil em conectar a tropicalidade e a beleza das praias de sua região à moda de maneira refinada. Por isso, ela gosta de uma silhueta mais solta e de visuais "quentes" com sofisticação.


Seus tecidos prediletos são a viscolycra, o crepe, malhas estruturadas, alfaiatarias leves com conforto e os rústicos, em composições em viscose e linho. Ela aprecia o mix de estampas: tropical, florais e folhagens, figurativos ou realistas e paisagens praianas. Suas cores prediletas são fortes, vibrantes e contrastantes. Entre as marcas representativas do estilo "Tropical", temos a Cholet e a Joiola.





O Rio de Janeiro se destaca por um estilo peculiar que não existe em nenhum outro lugar do mundo e, por isso, é muito representativo do Brasil no exterior. Hallal chamou esse estilo de "Boêmio". A mulher boêmia se identifica com estéticas folk, hippie, étnica e cigana. A mulher carioca une descontração, irreverência e sofisticação. É livre, natural e acessível. Gosta de uma silhueta fluida, leve, lânguida e charmosa.


Os tecidos emblemáticos da mulher "Boêmia" são crepes leves, jerseys, sedas puras, transparências, bordados e rústicos, compostos em viscoses, linhos, algodões e sedas. As estampas étnicas, folk, bayadere, de arabescos, ornamental e cashmere estão entre suas preferências, além de florais vintage e retrô, figurativos boêmio e mix de estampas. Para combinar cores, a carioca se inspira em países do oriente ou tropicais com uma paleta étnica de cores contrastantes e vibrantes, adicionada de cores secundárias. Farm é a marca que melhor representa essa mulher.



Já em São Paulo, encontramos a mulher intitulada por Hallal como "Cosmopolita", que possui o espírito de quem vive nas grandes metrópoles mundiais. Ela recebe influência de tendências nacionais e internacionais e é aberta à mistura de referências e informações de moda. Sua vida agitada faz com que seus looks ganhem caráter multi-ocasião. A mulher paulista é prática, despojada, criativa, trend-setter e urbana. Aprecia uma silhueta seca, estruturada, impecável e cool. 


Seus tecidos prediletos são viscoses, crepes, acetinados, linho, malhas estruturadas e alfaiatarias fluidas e estruturadas. Nas estampas, listras e geométricas são bem-vindas. Mas ela absorve bem vários tipos de estampas e sabe misturá-las de um jeito sofisticado, cool e urbano. Cores neutras como preto, branco, cru, bege, nude e cinza fazem parte do guarda-roupa dessa mulher. Cris Barros, Shoulder, Bob Store e Mixed são marcas que vestem essa mulher.




E, por fim, em Florianópolis, Curitiba, Porto Alegre e Campo Grande, temos a mulher que Hallal chamou de "Clássica". O clima da região propicia o uso de peças mais quentes. Essa é uma mulher elegante, requintada, que preza pela qualidade e não sente necessidade extrema de sensualização. Sua silhueta predileta não é justa, nem larga. 


Tricoline, crepes, alfaiatarias mais robustas, sedas, fios tintos e peles, compostos em viscoses, poliesters e lanosos aparecem como tecidos de preferência da mulher "Clássica". Poás, listras, xadrezes, florais, geométricos, gravataria e estampas tradicionais, como Príncipe de Gales, aparecem como suas prediletas. Entre as cores, temos: preto, branco, vermelho e tons pastéis. As marcas emblemáticas dessa  mulher são a Lez a Lez e a Dudalina.